Reviva Pampulha: Copasa mostra a visitantes do Parque Ecológico processo de tratamento de águas fluviais

O Programa Voluntários da Companhia irá promover uma visita guiada à unidade responsável pelo tratamento da água dos córregos Ressaca e Sarandi, antes de chegar à Lagoa da Pampulha

Que tal conhecer de perto os processos de tratamento da água dos córregos que deságuam na Lagoa da Pampulha? Neste sábado (15/06), o Programa Voluntários da Copasa estará no Parque Ecológico da Pampulha com um convite especial para quem passar pelo local: uma visita guiada à Estação de Tratamento de Águas Fluviais (ETAF), unidade operada pela Copasa, ao lado do Parque. O passeio poderá ser feito entre 9h e 15h. A ação faz parte do Reviva Pampulha, projeto da Copasa para a universalização do atendimento do Sistema de Esgotamento Sanitário na Bacia da Pampulha.

Durante a visita, os voluntários vão explicar como funciona a Estação, quais as etapas de tratamento de água e o papel da unidade na preservação da Lagoa da Pampulha. Além de abordarem questões relacionadas à história da Lagoa e do Parque Ecológico. “É uma excelente oportunidade para a população entender a Pampulha em sua totalidade, a bacia hidrográfica que contribui para a formação da lagoa, e os problemas que a afetam negativamente como esgoto clandestino e deposição de resíduos sólidos em seus afluentes”, destaca a gerente da Unidade de Desenvolvimento Sustentável da Copasa, Luciana Barbosa.

Os visitantes receberão também informações sobre o Programa Reviva Pampulha e o trabalho realizado pela Copasa, Prefeituras de Belo Horizonte e Contagem, Ministérios Públicos Estadual e Federal para a despoluição da Lagoa.

O evento visa reforçar as ações de conscientização da população do entorno da Pampulha para adesão à rede de esgoto da Copasa e a destinação correta de resíduos sólidos, uma vez que a conscientização da comunidade do entorno é fundamental para o sucesso do Reviva Pampulha. “O Parque Ecológico recebe mais de 3 mil visitantes por dia nos finais de semana, as interações entre estes e os voluntários serão profícuas para estreitar os laços da Copasa com a comunidade”, afirma Luciana Barbosa. “Reviva a Pampulha com a gente, venha para o Parque Ecológico neste sábado (15/06) com a sua família e participe desta ação em prol do meio ambiente e de um patrimônio de todos os mineiros”, acrescenta.

Pipinha e Agência Móvel

Os visitantes do Parque Ecológico da Pampulha também poderão se hidratar com o “Pipinha”, veículo utilizado para a distribuição de água. Ainda, com o objetivo de oferecer conforto e praticidade à população, a Agência Móvel da Copasa, veículo de atendimento itinerante, também estará presente no evento “Reviva no Parque”. Os clientes poderão solicitar serviços como parcelamentos de débitos, mudança de titularidade e informações sobre Tarifa Social – benefício que concede até 50% de desconto nas contas da Copasa para as famílias inscritas no Cadastro Único de Programas Sociais do governo federal (CadÚnico).

O Reviva Pampulha

O “Reviva Pampulha” é um projeto que tem como objetivo, por meio de diversas ações, a universalização da coleta e tratamento de esgoto na região da Lagoa, contribuindo para eliminar o despejo de esgoto neste importante cartão-postal de BH. Os investimentos previstos são de 146,5 milhões.

Atualmente, a cobertura do sistema de esgotamento sanitário da bacia da Lagoa da Pampulha é de mais de 99%. Entre as ações já realizadas estão, por exemplo, o monitoramento com drones para identificar e combater poluentes nos córregos da Bacia da Pampulha, a limpeza e desentupimento das redes coletoras de esgoto e a ligação de 3.476 imóveis à rede.

Para além das obras, a Companhia também faz um trabalho social junto à população inserida na Bacia promovendo a participação social e comunitária na melhoria da qualidade das condições de vida, o acesso aos serviços e uso adequado destes.

A ETAF

Inaugurada pela Copasa em 12 de dezembro de 2002, a ETAF tem como objetivo tratar a água que chega dos córregos Ressaca e Sarandi, que representam aproximadamente 70% da vazão da Lagoa, por meio da remoção de resíduos sólidos lançados nos corpos de água e da matéria orgânica proveniente do esgoto em regiões sem sistema de coleta.

A unidade tem capacidade para tratar 65 milhões de litros de água por dia, antes de serem lançadas na Lagoa da Pampulha. Em média, são retiradas, mensalmente, mais de 25 toneladas de resíduos sólidos durante o processo de tratamento na Estação. Saiba mais sobre a ETAF.

Agenda ESG

A ação “Reviva no Parque” contribui para a Agenda ESG (sigla que se refere a questões ambientais, sociais e de governança corporativa) da Copasa, especialmente nos compromissos Proteção das Águas e Relacionamento com os Clientes.

Quanto aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, esta ação está inserida nos ODSs 3 – Saúde e Bem-Estar combatendo as doenças transmitidas pela água; 6 – Água Potável e Saneamento melhorando a qualidade da água, reduzindo a proporção de águas residuais não tratadas e fortalecendo a participação das comunidades locais para melhorar a gestão da água e do saneamento, e 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis fortalecendo os esforços para proteger e salvaguardar o patrimônio cultural e natural do mundo.

Foto: Divulgação/Site parque Ecológico PBH

Reviva Pampulha: Copasa mostra a visitantes do Parque Ecológico processo de tratamento de águas fluviais

Copasa participa das ações do Ministério Público