Copasa investirá quase R$ 48 milhões para avançar na universalização do saneamento em Ibirité

Diante das metas impostas pelo Novo Marco legal do Saneamento, a Copasa não tem medido esforços para alcançar os índices necessários para universalizar o acesso à coleta e tratamento de esgoto em Minas até 2033. O Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) de Ibirité, na região metropolitana de Belo Horizonte, é um dos exemplos de municípios que têm recebido investimentos robustos – um total de R$ 180 milhões nos últimos anos, para garantir serviços de qualidade à população.

Para ampliar a cobertura, bem como a adesão dos clientes ao sistema de esgotamento sanitário da cidade, a Copasa atua em duas importantes frentes para atender os índices do Novo Marco e chegar a 90% de esgoto tratado até o ano de 2033. A primeira dessas frentes refere-se a investimentos de quase R$ 48 milhões em obras de melhoria e expansão do sistema. Em razão dos entraves relacionados a regularizações fundiárias, o que ocasionou uma morosidade maior ao processo, a Companhia separou essas obras em duas licitações distintas para, assim, dar mais celeridade aos trabalhos.

Já nos próximos dias, a Copasa vai iniciar as intervenções que vão reduzir parte do lançamento do esgoto in natura na lagoa da cidade, atualmente sob administração da Petrobras. Sua orla possui 18,7 quilômetros e está localizada na divisa entre os municípios de Ibirité, Betim e Sarzedo.

“A primeira etapa consiste na ordem de serviço, que inclusive foi assinada ontem (23/08), do investimento de cerca de R$ 2,3 milhões. E a expectativa é de que a obra transcorra ao longo dos próximos 12 meses, trazendo alternativa de esgotamento aos bairros Petrovale, Jardim Montreal e Ouro Negro, por meio da ativação da elevatória do Petrovale – que já se encontra implantada. Com isso, a gente vai trazer já para o ano que vem o aumento da cobertura do serviço de esgotamento”, disse o gerente da Unidade de Serviço de Expansão Metropolitana (USEM), Douglas de Sá Macedo, em audiência pública realizada nesta quinta-feira (24/08) na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Também participou da audiência o gerente Regional da Metropolitana Sul da Copasa, Fernando Zanette, que responde pelo município de Ibirité.

A partir dessa obra, o esgoto despejado nas bacias dos bairros Petrovale, Jardim Montreal e Ouro Negro será direcionado até à Estação de Tratamento (ETE) de Ibirité. Cabe ressaltar que esta ETE é considerada pelo setor de saneamento como uma das mais modernas da América Latina. Com um processo de tratamento terciário, a ETE de Ibirité está em operação desde 2015 e sua vazão média atual é de 90 litros/segundos, sendo que sua capacidade total é para 140 litros/segundos.

Ainda neste segundo semestre de 2023 deve ser licitada outra etapa da obra, no valor de R$ 45 milhões. Essas intervenções deverão ter início em março de 2024 e duração de até 24 meses. Após a conclusão, a Copasa terá uma cobertura de mais de 80% para o tratamento de esgoto no município, chegando, em três anos, a patamares bem próximos aos índices de universalização exigidos por lei.

A segunda frente é a identificação daqueles imóveis que, mesmo com redes disponíveis, ainda fazem lançamento de esgoto in natura nos mananciais. Dos mais de 17 mil factíveis e potenciais, cerca de 8 mil encontram-se situados em área de atendimento com tratamento de esgoto. Em razão disso, a empresa está trabalhando, desde maio de 2023, no mapeamento dos imóveis para facilitar o trabalho de notificação a ser realizado pelo órgão de Meio Ambiente municipal.

Copasa investirá quase R$ 48 milhões para avançar na universalização do saneamento em Ibirité

Plano de Ação da Bacia da Pampulha: