Acordo pioneiro em Minas vai utilizar efluente tratado como água para reúso industrial

Parceria entre Copasa e siderúrgica Metalsider estima que água economizada poderia abastecer, anualmente, uma população de cerca de 14 mil pessoas

De forma pioneira no estado, a Copasa e a empresa siderúrgica Metalsider assinaram um acordo para utilização de efluente tratado como água para reúso industrial. Por meio dessa parceria, a Companhia vai fornecer à siderúrgica o efluente tratado proveniente da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Betim Central, que será reaproveitado pela empresa em suas atividades produtivas, resultando em uma economia estimada de água tratada equivalente ao consumo anual de uma população de cerca de 14.400 habitantes.

A estimativa é que, com a utilização do efluente tratado nas atividades da Metalsider, aproximadamente 788 mil m³/ano de água deixarão de ser captadas pela empresa no Rio Betim (volume correspondente à 315 piscinas olímpicas). O reaproveitamento desse efluente pela siderúrgica contribuirá para a proteção do meio ambiente. O acordo está alinhado ao compromisso das duas empresas com ações de responsabilidade social e a preservação dos recursos hídricos.

Por meio dessa parceria empresarial, a Copasa vai disponibilizar efluente tratado da Estação de Tratado de Esgoto (ETE) Betim Central para a Metalsider, podendo ser remunerada pelo fornecimento do produto, após a amortização dos investimentos realizados pela siderúrgica. Já a Metalsider se responsabilizará pela utilização da água para reúso industrial, providenciando, inclusive, a infraestrutura para o transporte do efluente tratado. A siderúrgica já deu início às obras para viabilizar essa parceria e a previsão é que todo o sistema entre em funcionamento até o final deste ano.

Obras já em andamento para transporte do efluente

Para Frieda Keifer, engenheira sanitarista da Copasa, o reúso de água é uma técnica fundamental nos dias de hoje, uma vez que promove o uso adequado e maior economia dos recursos hídricos. “Que este contrato sirva de fomento para a prática do reúso de água. Nossas ETEs possuem um grande potencial para o fornecimento de água para reúso industrial. Praticamos a sustentabilidade quando aumentamos a disponibilidade hídrica para o abastecimento público”, afirma.

Instalada em Betim e fundada em 1984, a Metalsider é uma empresa siderúrgica voltada para a produção de ferro-gusa, atendendo ao mercado interno e externo. Bruno Melo Lima, diretor-presidente da siderúrgica, também celebra a parceria com a Copasa. “A empresa precisa de uma quantidade expressiva de água para refrigeração dos fornos e funcionamento da termoelétrica. Com essa parceria, temos uma repercussão positiva para o meio ambiente, com a utilização de água de reúso, e também temos o benefício econômico, de redução de custos, ao adquirirmos a água da Copasa e com a qualidade do tratamento que a Companhia faz”, destaca.

Compromisso com a sustentabilidade

A iniciativa se alinha à agenda ESG da Copasa, sigla que se refere às questões ambientais, sociais e de governança corporativa, e ao compromisso da Companhia com o Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU). O Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) 6 trata da necessidade de “assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todas e todos”, e, mais especificamente, o 6.3 estabelece como meta “até 2030, melhorar a qualidade da água, reduzindo a poluição, eliminando despejo e minimizando a liberação de produtos químicos e materiais perigosos, reduzindo à metade a proporção de águas residuais não tratadas e aumentando substancialmente a reciclagem e reutilização segura globalmente”.

O reúso nas ETES da Copasa

De olho na economia de água potável, a Copasa também tem investido em outras iniciativas nessa linha. Atualmente, estão em andamento obras para utilização de água para reúso em seis Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) da Região Metropolitana de Belo Horizonte, com previsão de conclusão ainda neste semestre. O foco, inicialmente, é o reaproveitamento dos efluentes nos próprios processos de tratamento de esgoto que ocorrem nessas unidades em substituição à água potável. Com as obras de ampliação dos sistemas de reúso, a Companhia pretende economizar, na Grande BH, quase 66 milhões de litros de água potável por ano. Saiba mais também sobre essa iniciativa.

 

Acordo pioneiro em Minas vai utilizar efluente tratado como água para reúso industrial

Obra de ampliação do sistema de abastecimento